Tabagismo é principal fator de risco para o câncer de rim

Indivíduos que fumam têm de duas a três vezes mais chances de desenvolver câncer de rim em relação aos não fumantes. A doença é um dos 10 tipos de tumor mais frequentes no mundo, correspondendo a 3% de todos os tumores malignos. Em geral, ele acomete pessoas mais velhas, a partir dos 64 anos de idade, e é duas vezes mais comum entre os homens que entre mulheres.

 

Segundo o oncologista do Hospital Santa Lúcia, Fernando Maluf, um dos principais especialistas do Brasil, o câncer de rim também pode ser provocado por fatores hereditários, síndromes genéticas, obesidade e hipertensão arterial. Todavia, o cigarro é um dos seus principais causadores.

 

“O risco aumenta porque os agentes cancerígenos existentes na fumaça do cigarro, depois de absorvidos pelos pulmões, caem na circulação sanguínea e chegam aos rins em altas concentrações. As células renais ficam, então, maciçamente expostas à ação carcinogênica dessas substâncias”, afirma o médico.

 

Os rins são os principais filtros do corpo humano, responsáveis por manter no sangue as substâncias necessárias para o funcionamento do organismo e por excretar, por meio da urina, as toxinas que podem prejudicá-lo, bem como os excessos de água, sódio, potássio e outros íons. Além disso, eles também ajudam o organismo a produzir mais hemoglobina.

 

SINTOMAS E DIAGNÓSTICO – Nas fases iniciais, o câncer de rim não costuma provocar sintomas e, por isso, é diagnosticado, em cerca de 30% dos casos, em fases avançadas, quando a lesão já atingiu 10 cm de diâmetro ou mais. Outras vezes, é descoberto incidentalmente durante a realização de exames de check-up como, por exemplo, uma ultrassonografia do abdômen.

 

Quando apresenta sintomas, o tumor renal pode causar presença de sangue na urina, dores na região lombar, emagrecimento, diminuição do apetite, cansaço, palidez e febre.

 

Se já tiver avançado para outros órgãos, a doença pode provocar ainda aumento do volume abdominal, inchaço das pernas, falta de ar e tosse, dores ósseas ou fraturas, dor de cabeça, tontura, visão dupla e perda da força muscular em um dos lados do corpo.

 

“Poucos tumores malignos têm velocidade de crescimento tão variável quanto os de rim. Há pacientes em que o câncer evolui de forma lenta durante anos, enquanto outros apresentam crescimento rápido e disseminação em poucos meses.

 

A DOENÇA E SEUS TRATAMENTOS – Diversos tipos de câncer podem acometer os rins. O mais comum é o carcinoma de células claras, responsável por 70% dos casos. O carcinoma papilífero ocorre em 15% dos casos e está associado à maior gravidade. Outros tipos, mais raros, equivalem aos demais 15%.

 

A depender do estágio em que a doença se encontra, os tratamentos podem ser realizados com cirurgia e medicamentos. De todos os tumores, o câncer renal é um dos que mais avanços foram observados nos últimos anos, com melhoras significativas nas taxas de sobrevida e de qualidade de vida.

 

Isso decorre da descoberta de tratamentos antiogênicos — que inibem a formação de novos vasos sanguíneos e impedem que as células tumorais recebam nutrientes e oxigênio através da circulação —, da descoberta de agentes que atuam nos mecanismos moleculares nos quais o câncer se desenvolve e, mais recentemente, na imunoterapia, que atua reeducando o sistema imunológico a atacar de forma eficaz as células tumorais.

 

22/05/2017

Instalações

Conheça as instalações disponibilizadas pelo Hospital.

box