(61) 3445-0595 (61) 3445-0596

600 MIL NOVOS CASOS DE CÂNCER SÃO ESPERADOS NO BRASIL ESTE ANO

O Brasil deve registrar este ano cerca de 600 mil novos casos de câncer, segundo a publicação Estimativa 2018 – Incidência de Câncer no Brasil, do Instituto Nacional do Câncer e Ministério da Saúde. De acordo com os dados, o tipo de câncer mais comum em ambos os sexos para cada ano do biênio 2018-2019 será o de pele não melanoma, tipo de tumor menos letal, com 165.580 casos novos. Na sequência, aparece o câncer de próstata, com 68.220 homens atingidos a cada ano.

Apesar de alguns pacientes desenvolverem a doença mesmo não apresentando fatores de risco conhecidos, o câncer de pele não melanoma está comumente associado à exposição à radiação UV, idade avançada, herança genética, cor de pele mais clara, radioterapia prévia e inflamações crônicas (como queimaduras anteriores), além de infecções pelos vírus HIV ou HPV, entre outras causas.

“O sol é a principal fonte de radiação ultravioleta (UV) e o efeito gerado pela radiação UVB na pele pode provocar danos ao DNA, gerando o tumor. Os idosos têm mais chance de ter câncer de pele devido à exposição ao sol acumulada ao longo do tempo, e pessoas com tons de pele mais claros têm uma menor proteção contra as radiações UV, pois têm menos melanina”, detalha a oncologista do Hospital Santa Lúcia, Cláudia Ottaiano.

De acordo com ela, pacientes que se submeteram à radioterapia durante um tratamento anterior de câncer apresentam maior chance de desenvolver tumores de pele na área que foi irradiada, assim como os imunossuprimidos (com menor defesa imunológica), a exemplo dos portadores de HIV. “Além disso, ter tido um câncer de pele é um importante fator de risco para desenvolvimento de outros tumores de pele, porque pacientes que têm o diagnóstico da doença provavelmente apresentam os fatores de risco acima descritos”, observa a especialista.

Para prevenir o câncer de pele, alguns cuidados, como limitar a exposição a raios solares e utilizar protetor solar diariamente, são fundamentais, assim como o uso de chapéu com aba para exposições ocasionais ao sol. Segundo o INCA, o ideal é evitar tomar sol das 10h às 16h e utilizar filtros solares com fator de proteção 15 ou mais, além de roupas, chapéus, guarda-sol e óculos escuros.

PRÓSTATA

O tumor na próstata é responsável por aproximadamente 10% de todas as mortes provocadas por câncer em pacientes do sexo masculino, ficando atrás dos tumores de pulmão e intestino. “Mas quando diagnosticado precocemente, 9 em 10 tratamentos de homens com a doença têm resultado positivo”, afirma Fernando Maluf, coordenador do Centro de Oncologia do Hospital Santa Lúcia e um dos maiores especialistas em câncer de próstata do Brasil.

A doença atinge um em cada seis homens ao longo da vida e provoca a morte de um em cada 35 pacientes diagnosticados. Em geral, o câncer de próstata se desenvolve de modo lento e, inicialmente, não gera qualquer sintoma. As chances de cura podem chegar a 95% dos casos quando a doença é descoberta em sua fase inicial. Por isso, fazer o devido acompanhamento médico é fundamental.