1º de agosto, Dia Mundial da Amamentação

Mais que um ato de amor, a amamentação é sinal de proteção para o seu filho

 

Desde o início dos anos de 1990, ações da Aliança Mundial para Ações de Aleitamento Materno, a WABA (sigla em inglês para World Alliance for Breastfeeding Action) têm intensificado esforços para diminuir a desnutrição infantil através da amamentação. Um dos seus pleitos é incentivar mais e mais mulheres a amamentar seu bebê exclusivamente do leite materno, pelo menos nos seis primeiros meses de vida da criança, o que pode diminuir o risco de morte em até 13%. No Brasil, o Ministério da Saúde indica um crescimento no tempo de amamentação, que em 1999 era de 296 dias e passou para 342 (cerca de 11 meses) dez anos depois.

 

Os benefícios da amamentação estão ligados ao desenvolvimento do bebê e à sua imunização, pois o leite protege contra infecções e alergias. O leite materno é um alimento completo, rico em ferro, cálcio, fósforo entre outros nutrientes. A indicação médica é que a mãe alimente seu bebê com leite materno até os dois anos, introduzindo a dieta sólida aos poucos, sem retirar por completo o leite humano.

 

De acordo com a pediatra Fábia Queiroga, mesmo o leite ordenhado tem papel imprescindível para o restabelecimento da saúde dos bebês em unidades fechadas. “Ele é capaz de nutrir e recuperar recém-nascidos internados em UTIs neonatais, sendo um dos fatores de redução da mortalidade infantil e do desenvolvimento de crianças saudáveis”, aponta.

 

Outros aspectos reforçam a importância deste ato de amor: os laços afetivos são consolidados com a amamentação, além de possibilitar uma recuperação mais rápida da mãe no pós-parto — a amamentação acelera o retorno do útero ao tamanho original, auxilia na redução de peso da lactante e na prevenção dos cânceres de mama e colo do útero.

 

Palestra de amamentação no Curso de Gestantes

O Santa Lúcia realiza há 13 anos o Curso de Gestante gratuito a comunidade. Com o intuito de preparar a mãe, o curso traz informações para um parto consciente, os cuidados com o bebê nos primeiros dias e aborda as dificuldades da amamentação. Segundo Helena Morais, psicóloga especialista em saúde perinatal, educação e desenvolvimento do bebê, de modo geral, mesmo com tanta informação, as futuras mães ainda têm dúvidas sobre os cuidados com o bebê: “O curso é uma troca de experiências, com isso vai sempre além das expectativas, buscando munir a mãe com informações para a melhor tomada de decisão para o parto e o pós-parto”.

 

A futura mãe Carla Lelis Aranda participou do último curso e está ansiosa para o nascimento de seu primeiro filho. “Tive bastante orientação sobre a amamentação, tanto no curso como em outras fontes. Gostaria de amamentá-lo no mínimo um ano”, comenta. O curso acontece sempre na última semana do mês no auditório do Hospital e abre espaço para que a mãe leve um acompanhante nas reuniões.

 

 

Serviço

O Banco de Leite do Hospital Santa Lúcia foi o primeiro entre hospitais privados a ser credenciado na rede de bancos de leite humanos do Brasil. Para se tornar uma doadora, ligue: 61 3445-0319.

O Curso de Gestantes  é gratuito e acontece na última semana útil do mês. As inscrições são realizadas a partir do 1º dia útil do mês com vagas limitadas pelo telefone 3215-0136.

01/08/2013
   |   Fonte: Equipe do Site

Instalações

Conheça as instalações disponibilizadas pelo Hospital.

box