A importância da amamentação

Mais que um ato de amor, a amamentação é sinal de proteção para o seu filho

 

Em todo o mundo, o dia 1° de agosto é reconhecido como o Dia Mundial da Amamentação. Desde o início dos anos de 1990, ações da Aliança Mundial para Ações de Aleitamento Materno, a WABA (sigla em inglês para World Alliance for Breastfeeding Action) têm intensificado esforços para diminuir a desnutrição infantil através da amamentação. Um dos seus pleitos é incentivar mais e mais mulheres a amamentar seu bebê exclusivamente do leite materno, pelo menos nos seis primeiros meses de vida da criança, o que pode diminuir o risco de morte em até 13%. No Brasil, o Ministério da Saúde indica um crescimento no tempo de amamentação, que em 1999 era de 296 dias e passou para 342 (cerca de 11 meses) dez anos depois.

 

Os benefícios da amamentação estão ligados ao desenvolvimento do bebê e à sua imunização, pois o leite protege contra infecções e alergias. O leite materno é um alimento completo, rico em ferro, cálcio, fósforo entre outros nutrientes. A indicação médica é que a mãe alimente seu bebê com leite materno até os dois anos, introduzindo a dieta sólida aos poucos, sem retirar por completo o leite humano. Outros aspectos reforçam a importância deste ato de amor: os laços afetivos são consolidados com a amamentação, além de possibilitar uma recuperação mais rápida da mãe após o parto — a amamentação acelera o retorno do útero ao tamanho original, auxilia na redução de peso da lactante e na prevenção dos cânceres de mama e colo do útero.

 

Evento no Parque da Cidade

A Semana Mundial da Amamentação no DF teve início no último dia 01 e vai até o dia 07. No dia 05, o GDF juntamente com diversas entidades, incluindo o Hospital Santa Lúcia, promoveu no Parque da Cidade ação de incentivo à amamentação.  O evento é parte da campanha, “Amamentar hoje é  pensar no Futuro” e destaca que o DF é referência nacional e internacional em uso de leite humano pasteurizado para bebês internados em UTIs.

 

Wilson Dias/ Agência Brasil

Segundo a pediatra responsável pelo Banco de Leite do Hospital Santa Lúcia, Fábia Queiroga, ações como essa são de grande importância para divulgar o aleitamento materno como fator de redução da mortalidade infantil e do desenvolvimento de crianças saudáveis. “É uma oportunidade de mostrar a importância do leite materno na nutrição e recuperação de bebês internados em UTIs neonatais da rede pública ou privada”, explica.

01/08/2012
   |   Fonte: Equipe do Site

Instalações

Conheça as instalações disponibilizadas pelo Hospital.

box