Baixa de estoque de sangue no Carnaval reforça a importância da doação

O sangue é responsável por transportar oxigênio e nutrientes no organismo e é um substrato fundamental para o funcionamento de uma unidade hospitalar. Os principais receptores são pessoas atendidas nas Emergências dos hospitais, que se submetem a procedimentos cirúrgicos e aquelas que sofrem de doenças hematológicas, como anemia e cânceres. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que o percentual ideal de doadores de um país esteja entre 3,5% e 5% de sua população. No Brasil esse número não chega a 2%. Em feriados prolongados, como o Carnaval, os estoques chegam a baixar até 30%. “Nesta época, além do baixo estoque — em razão de viagens, consumo de bebida alcoólica e até mesmo pelo esquecimento de doar —, o número de atendimentos de emergência nos hospitais aumenta”, explica o hemoterapeuta responsável pelo banco de sangue do Santa Lúcia, César Gustavo Leal Galvão.

 

 

O médico acrescenta que o sangue doado não faz falta para o doador, já que uma pessoa possui cerca de cinco litros no corpo. Na doação, apenas um décimo desse volume é retirado do organismo. “O processo é simples, rápido e seguro. O doador passa por avaliações antes da doação, com teste de anemia para verificar se está apto. Estando em condições, o volume retirado é pequeno, por volta de 450ml. Homens podem doar quatro vezes ao ano, com intervalos mínimos de dois meses, e mulheres podem doar três vezes ao ano, com intervalos de três meses”, explica Galvão.

 

 

Componentes do sangue

O sangue é separado em plaquetas, hemácias e plasma. Esta divisão é essencial, pois cada hemocomponente tem uma validade, tipo de refrigeração e utilização diferenciada. As hemácias, ou glóbulos vermelhos, por exemplo, duram em média 35 dias em uma temperatura de 2ºC a 6ºC. Durante sua refrigeração, as bolsas de plaquetas ficam em constante agitação para manter o controle ideal do hemocomponente.

 

 

Primeiro, separa-se o concentrado de hemácias, entre todos os componentes o mais conhecido. Ele é utilizado em pessoas com anemia, que sofreram acidentes ou passaram por cirurgias. Depois, retira-se o concentrado de plaquetas, componente fundamental no tratamento de câncer, nas quimioterapias e nos transplantes, principalmente no de medula óssea. O terceiro componente é o plasma. Embora menos utilizado atualmente, ele é fundamental para sanar alguns problemas de coagulação.

 

 

Banco de sangue

O Banco de Sangue do Hospital Santa Lúcia é responsável por captar e conscientizar as pessoas da importância da doação regular e, assim, assegurar o suprimento aos pacientes dos hospitais particulares de Brasília que necessitarem de transfusão. Os candidatos a doadores devem pertencer à faixa etária de 16 e 67 anos — sendo os menores de idade devidamente autorizados pelos seus pais ou responsável —, ter acima de 51 quilos e estar bem de saúde, sem crises alérgicas, resfriados ou gripes recentes. Para os homens, a indicação é doar a cada dois meses e mulheres a cada de 90 dias. A coleta é rápida e dura no máximo 10 minutos, mas após a retirada de sangue é importante que o doador reponha as energias. O posto de coleta oferece uma sala de convivência com café da manhã e descanso para o doador.

 

 

Antes de doar, quem quer doar passa por triagem, entrevista e análise clínica antes de ser direcionado para a coleta, segundo normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Uma amostra de sangue é retirada para verificação clínica do paciente. O sangue coletado só poderá ser direcionado para o banco após o resultado do exame. Este é um cuidado para evitar contaminação em transfusões sanguíneas. Todo o material utilizado para a coleta é descartado, garantindo a segurança do doador.

 

 

Possibilidades de doação

Doação espontânea: ocorre quando o doador procura espontaneamente o banco de sangue para realizar uma doação sem dar nome de nenhum possível receptor.

 

 

Doação de reposição: ocorre quando o doador procura o banco de sangue para fazer a doação em nome de algum paciente, visando repor unidades já utilizadas ou reservadas para um procedimento cirúrgico.

 

 

Doação autóloga: doação na qual o paciente coleta uma ou várias bolsas de sangue para seu próprio uso em um procedimento cirúrgico previamente agendado. O banco de sangue faz todos os testes e o armazena para ser usado pelo próprio doador.

 

 

Convocada e específica: quando necessário, o banco de sangue convoca doadores de seu cadastro para realizar doações. Isso ocorre comumente em situações de baixos estoques de sangue ou quando o doador possui um tipo raro de sangue.

 

 

 Recomendações para o dia da doação

§ Alimentação: antes de quatro horas da doação, não ingerir alimentos gordurosos, leite e derivados. Dê preferência para frutas, sucos, torradas e alimentos leves.

§ Horas de sono: durma bem antes de doar, pelo menos seis horas antes de se dirigir à hemoclínica.

§ Álcool e tabaco: não ingira bebida alcoólica antes de 24 horas da doação. Para os tabagistas, o consumo deve ser interrompido duas horas antes.

§ Lactantes: não é recomendável a doação.

 

23/02/2014
   |   Fonte: Equipe do Site

Instalações

Conheça as instalações disponibilizadas pelo Hospital.

box