Banco de Leite do Santa Lúcia Recebe Certificado de Excelência

A Rede Ibero-Americana de Bancos de Leite Humano/Fiocruz e a Coordenação Geral de Saúde da Criança e Aleitamento Materno do Ministério da Saúde concederam ao Hospital Santa Lúcia o Certificado de Excelência pela qualidade do processamento e da oferta de leite humano. O título foi conferido em função do trabalho desenvolvido no Banco de Leite Materno da instituição. Há 20 anos, o Hospital Santa Lúcia implantou o primeiro banco privado de leite humano do país, reconhecido e credenciado pelo Ministério da Saúde, para atuação junto à UTI Neonatal. De lá para cá, mais de dois mil recém-nascidos foram atendidos. “Temos internações de bebês que duram meses. Enquanto não podem ser amamentados pelas próprias mães, devido ao baixo peso, eles dependem do Banco de Leite”, ressalta o coordenador do serviço e neonatologista do Hospital, Dr. Nelson Diniz de Oliveira.

 

 

O credenciamento de Bancos de Leite Humano (BLH) é uma ação integrada da Coordenação-Geral da Saúde da Criança e Aleitamento Materno do Ministério da Saúde com a Fundação Oswaldo Cruz, sob a coordenação do Centro de Referência Nacional da Rede Brasileira de Banco de Leite Humano (CNRBLH). Os critérios avaliados pelas entidades foram equipamentos para a pasteurização e conservação do leite, responsáveis técnicos capacitados (médicos e enfermeiros) e estatísticas na rede de Banco de Leite Humano (BLH) em dia.

 

 

Além dos critérios observados – e todos aprovados no Hospital Santa Lúcia –, os itens que mais marcaram a avaliação das entidades foram: cuidado com o processo de qualidade, rastreabilidade, 90% da UTI Neonatal com leite materno exclusivo, equipamentos de ponta com certificado de manutenção e calibração e identificação adequada. “O credenciamento significa um importante reconhecimento pela Rede Ibero-Americana de Bancos de Leite Humano do Hospital Santa Lúcia e sua equipe, devido ao excelente trabalho que vem prestando aos nossos pacientes, além do incentivo à doação de leite humano”, afirma a médica pediatra e supervisora do Banco de Leite do Hospital Santa Lúcia, Dra. Fábia Queiroga.

 

 

O Brasil é o recordista mundial em coleta de leite materno e tem convênio de cooperação com mais de 20 países, segundo o Ministério da Saúde. No DF, a coleta alcançou 17.356 litros em 2013, tornando-se a unidade federativa que mais coleta leite materno no país. De acordo com o Dr. Nelson, a oferta de leite humano aos bebês da UTIN do Hospital Santa Lúcia também é gratuita. “Muitos pensam que, por se tratar de um hospital privado, o serviço seja pago. Mas, se há algo que dinheiro não compra, é o leite humano. No Brasil, todos os bancos de leites em hospitais públicos e privados oferecem o serviço gratuitamente e dependem de doadoras”, esclarece.

 

 

O leite materno é um alimento completo para o bebê, pois contém as vitaminas, minerais, gorduras, açúcares e proteínas necessárias para seu desenvolvimento, além de anticorpos contra infecções. Essa importância aumenta nos prematuros, pois suas defesas são frágeis e dependem dos benefícios do leite humano, sendo parte essencial para o tratamento em unidade de terapia intensiva (UTI). A atuação do Banco de Leite do Hospital Santa Lúcia se baseia na orientação quanto às dificuldades da amamentação e ordenha, pasteurização do leite doado e campanhas de incentivo à doação.

 

 

Para doar, a mãe deve estar amamentando, não ser tabagista e ter seus exames de pré-natal (sorologias) compatíveis com a doação do leite. A doadora pode entrar em contato com o Banco de Leite da instituição pelo telefone (61) 3445-0319, das 7h às 19h, e o Hospital envia o kit para a residência da mãe, contendo máscara, gorro, etiquetas e pote esterilizado. O leite deve ser identificado e, então, conservado no congelador por até 15 dias. O Hospital Santa Lúcia realiza a coleta na casa das doadoras.

 

11/01/2015
   |   Fonte: Ascom - Grupo Santa

Instalações

Conheça as instalações disponibilizadas pelo Hospital.

box