Cirurgia por vídeo permite bons resultados no tratamento da ATM

Dores de cabeça, ouvido e/ou zumbidos, dor ou cansaço dos músculos da mastigação, ruídos articulares (estalos ou crepitação) e dificuldade para abrir a boca são os principais sintomas da disfunção da articulação temporomandibular, conhecida como ATM. A doença é o funcionamento anormal dessa articulação e também de ligamentos, músculos da mastigação, ossos maxilar-mandíbula, dentes e/ou estruturas de suporte dentário.

 

 

Os problemas da ATM são, geralmente, crônicos e provocam dor intensa quando o paciente está em crise. A disfunção está relacionada a hábitos comuns e repetitivos, como roer unhas, mascar chicletes e prender o telefone com o queixo, mas pode ainda estar associada ao bruxismo (frender ou ranger dos dentes, principalmente durante o sono), estresse, depressão, ansiedade ou traumas (acidentes).

 

 

Segundo o cirurgião bucomaxilofacial do Hospital Santa Lúcia, Fábio Calandrini, os tratamentos podem ser clínicos ou cirúrgicos. “Os clínicos incluem medicação, aplicação de dispositivos oclusais (aparelhos removíveis, normalmente fabricados em resina acrílica) e fisioterapia. Já os cirúrgicos englobam técnicas como artrocentese, artroscopia, cirurgia aberta e artroplastia total, que é a substituição da articulação por prótese”, explica o médico, especialista na modalidade artroscopia.

 

 

Neste tipo de cirurgia, uma câmera introduzida através de um corte milimétrico transmite imagens para um monitor e permite que o cirurgião veja as articulações por dentro. A técnica — menos invasiva, de recuperação mais rápida e menos dolorida — é recomendada para os pacientes que não tiveram resultado com tratamentos convencionais (aparelhos ortodônticos, placas de silicone ou fisioterapia), mas cuja gravidade do caso não demanda uma cirurgia aberta.

 

 

“Normalmente, a cirurgia ortognática — nome dado aos procedimentos cirúrgicos maxilofaciais que visam restabelecer um padrão facial normal em pacientes adultos — é referenciada por um bom ortodontista, que constata desde o primeiro diagnóstico que as alterações mastigatórias do paciente não podem ser corrigidas de outra forma”, detalha Calandrini.

 

 

De acordo com ele, a cirurgia ortognática é indicada, entre outros casos, para corrigir a apneia obstrutiva do sono (roncos intensos durante a noite, que dificultam a respiração) e sequelas de traumatismos da face. Ela também é recomendada em associação a procedimentos reconstrutivos da face para pessoas com anomalias congênitas na região, ou seja, presentes desde o nascimento.

 

 

Cada caso precisa ser profundamente estudado e tudo começa com uma avaliação clínica, que inclui a verificação das medidas da face e suas relações com os dentes. Se o tratamento com medicações, fisioterapia ou aparelhos não se mostrar eficaz, a cirurgia é necessária. “O preparo pode incluir radiografias cefalométricas, em que são feitos cálculos minuciosos. Os dentes e os maxilares são reproduzidos em gesso para o planejamento e simulação da cirurgia, além da obtenção de guias em acrílico que serão usadas como parâmetro”, informa o cirurgião.

 

 

Para os casos mais complexos, os profissionais utilizam outras tecnologias, como softwares de última geração que permitem a construção de protótipos exatos da face do paciente em modelos de resina. A imagem é obtida a partir de tomografia computadorizada e, então, impressa em um modelo tridimensional, no qual os médicos podem simular a cirurgia que será realizada no paciente.

 

 

CLÍNICA ESPECIALIZADA – O Hospital Santa Lúcia será o primeiro da rede privada em Brasília a oferecer aos seus pacientes, especialmente entre 20 e 40 anos de idade, uma clínica especializada em Cirurgia Ortognática. O atendimento realizado será de três tipos: ambulatorial, emergencial (para pacientes com algum trauma provocado por acidente) e cirúrgico.

 

“Seremos a única clínica especializada em cirurgia ortognática em Brasília com equipe multidisciplinar para atendimento 24 horas e três especialistas experientes nas áreas de cirurgia bucomaxilofacial e fisioterapia especializada na face”, afirma Fábio Calandrini. Os profissionais têm formação voltada para a cirurgia de ATM e compõem a equipe que mais realiza este tipo de cirurgia em todo o Distrito Federal.

 

O serviço também oferecerá o tratamento diagnóstico e terapêutico de ATM por artroscopia, procedimento por videolaparoscopia que permite ao profissional enxergar por dentro das articulações, ligamentos, tendões e cartilagens e torna a recuperação mais rápida e menos dolorosa.

19/04/2015
   |   Fonte: Ascom - Grupo Santa

Instalações

Conheça as instalações disponibilizadas pelo Hospital.

box