Exames de imagem auxiliam diagnóstico do câncer de vesícula

O câncer de vesícula biliar – pequeno órgão em forma de pera localizado no lado direito do abdômen e responsável por armazenar a bile, líquido produzido pelo fígado que atua na digestão de gorduras no intestino – pode ser detectado a partir da realização de exames de imagem.

 

A doença, que atinge mais as pessoas com cálculos biliares, as mulheres – especialmente as de mais idade e as obesas – costuma apresentar sintomas apenas em estágios avançados e está muito relacionada à presença de cálculos (pedras) na vesícula. Por isso, pacientes nesta condição devem ser acompanhadas e submetidas periodicamente a avaliações que incluem exames de ultrassom, por exemplo.

 

“O ultrassom é o exame mais utilizado para o diagnóstico inicial do câncer de vesícula quando suspeitamos de alterações ou de doenças relacionadas ao órgão”, explica a oncologista do Hospital Santa Lúcia, Adriana Moura.

 

De acordo com ela, outros exames como a tomografia e/ou a ressonância magnética do tórax, abdome e pelve também podem ser necessários para avaliar a penetração do tumor através da parede da vesícula biliar e a sua disseminação para os linfonodos, estruturas que produzem anticorpos e atuam na defesa do organismo, ou outros órgãos.

 

“Além desses exames, o PET-CT pode ser útil para detectar a presença do câncer em linfonodos regionais ou ainda em outros órgãos mais distantes (doença metastática) em pacientes que temos intenção de operar. Após os exames de imagem, é necessário realizar uma biópsia para confirmação do diagnóstico”, detalha a especialista.

 

SINTOMAS E TRATAMENTOS – Os principais tipos de tratamentos para o câncer da vesícula biliar incluem cirurgia, quimioterapia, radioterapia e terapias paliativas a exemplo da drenagem biliar, para controle de sintomas como dores abdominais, náuseas, icterícia (coloração amarela da pele e das secreções orgânicas), perda de peso ou aumento do fígado.

 

“O estágio da doença é que determina a melhor abordagem e o prognóstico do tratamento. Se detectado em uma fase precoce, o câncer da vesícula biliar tem uma chance muito maior de ser tratado com sucesso”, ressalta a oncologista Adriana Moura.

 

INFRAESTRUTURA – O Hospital Santa Lúcia está preparado para atender a pacientes com câncer de vesícula biliar. A Unidade é a única de Brasília a dispor de todos os métodos diagnósticos no mesmo espaço – ultrassom, tomografias e ressonâncias, além do PET-CT.

 

“Além disso, o Santa Lúcia é o único Hospital do Distrito Federal a dispor de toda a estrutura para o tratamento completo de câncer. Temos uma equipe excelente de cirurgiões, além de modernos Centros de Oncologia e Radioterapia. Nossa equipe está preparada com os conhecimentos e recursos necessários para oferecer o melhor atendimento”, finaliza a oncologista.

 

16/03/2017

Instalações

Conheça as instalações disponibilizadas pelo Hospital.

box