Exercícios físicos auxiliam na prevenção e tratamento da artrite reumatoide

A prática regular de atividades físicas traz muitos benefícios ao corpo e pode influenciar na prevenção e tratamento da artrite reumatoide, doença inflamatória crônica que, ao atingir as articulações, especialmente as das mãos e dos pés, causa um inchaço doloroso que pode resultar em erosão óssea e deformidade articular.

 

Dados publicados na versão on-line do periódico Arthritis Research and Therapy mostram que é aceitável sugerir que exercícios físicos são importantes fatores adjuvantes no tratamento de adultos com artrite reumatoide e outras condições reumáticas.

 

A análise conduzida por pesquisadores da West Virginia University and Center for Disease Control and Prevention (CDC), de Atlanta, nos Estados Unidos, reuniu 29 estudos controlados e randomizados que avaliaram exercícios aeróbicos, musculação ou ambos praticados durante pelo menos quatro semanas por um total de 2.449 adultos com artrite reumatoide, fibromialgia, osteoartrite ou lúpus eritematoso.

 

Os pacientes submetidos aos estudos obtiveram melhora significativa no escore de atividade de doença, o que se refletiu na melhora clínica dos sintomas apresentados. “As atividades físicas melhoram o condicionamento aeróbico, a condição mecânica da articulação (movimentos) e a resposta imune à inflamação, diminuindo a intensidade da dor, ampliando os movimentos e prevenindo deformidades”, afirma Sandra Andrade, reumatologista do Hospital Santa Lúcia.

 

Segundo a médica, a origem da artrite reumatoide — que costuma ser mais comum em mulheres de 20 a 59 anos de idade — está no processo inflamatório decorrente de alterações do sistema imunológico. Elas são, em parte, geneticamente determinadas, mas também influenciadas por fatores ambientais, como infecções prévias, traumas físicos, alterações emocionais e sedentarismo.

 

Os principais sintomas da doença são dores e inflamações (edema, calor e rubor) em pequenas articulações das mãos e pés, que podem ser confundidos com sintomas de reação a doenças infecciosas. “Como não existem medidas preventivas quanto ao aparecimento de artrite reumatoide, o especialista deve ser consultado sempre que houver suspeita da doença. O diagnóstico precoce melhora os resultados do tratamento”, alerta Sandra Andrade.

 

Entre os exames mais recomendados para a detecção da artrite reumatoide estão os que medem a dosagem do fator reumatoide, ou Anti-CCP, além de exames de imagem das articulações possivelmente acometidas, a exemplo de raios X, ressonância nuclear magnética e ecografia.

 

“Já o tratamento visa diminuir o processo inflamatório e prevenir o dano articular, agindo nos componentes chamados mediadores inflamatórios que, quando bloqueados por meio de substâncias químicas (medicamentos biológicos ou não biológicos), controlam a atividade da doença”, explica a reumatologista.

17/05/2015
   |   Fonte: Ascom - Grupo Santa

Instalações

Conheça as instalações disponibilizadas pelo Hospital.

box