HOSPITAL SANTA LÚCIA REDUZ CASOS DE AMPUTAÇÃO POR PÉ DIABÉTICO

diabetes mellitus requer cuidados com possíveis efeitos cardiovasculares, mas não basta monitorar o coração. A doença obstrui os vasos sanguíneos e pode afetar, silenciosamente, outra área importante do corpo: os pés.

 

 

O cirurgião vascular do Hospital Santa Lúcia, Dr. Roberto Alves, revela que o diabético apresenta alterações nas taxas de gordura no sangue que podem levar ao surgimento da arteriosclerose. Além disso, a neuropatia periférica, também ligada ao diabetes, causa dormência nos pés e diminui a sensibilidade: “Com a vascularização comprometida, o paciente não sente dor, que é um sistema de alarme importante para a defesa do organismo”.

 

 

Os problemas circulatórios atingem metade dos diabéticos, que têm, portanto, maior dificuldade na cicatrização de feridas. De acordo com o especialista, é preciso tratar toda a estrutura dos pés. O peso do corpo, por exemplo, pode pressionar pontos específicos e promover a recorrência de lesões já curadas. Mesmo para pacientes que não desenvolveram feridas, o exame anual dos pés é indispensável. “A prevenção ainda é o ideal:usar calçados adequados, manter autocuidados constantes e controlar o metabolismo ajudam a reduzir o risco de lesões”.

 

 

O Hospital Santa Lúcia já tem índice de amputações abaixo de 5%, ou seja, a cada 100 pacientes com ulcerações nos pés, 95 não precisam de amputação. O índice é comparável aos melhores serviços do mundo. O Dr. Roberto Alves, um dos responsáveis pelo método de tratamento, explica o motivo do sucesso: “A rapidez no diagnóstico e início do tratamento, bem como o conhecimento e o correto emprego dos métodos terapêuticos, têm nos permitido tais resultados”.

29/11/2014
   |   Fonte: Ascom - Grupo Santa

Instalações

Conheça as instalações disponibilizadas pelo Hospital.

box