O poder dos alimentos antes e depois de uma cirurgia

Quando um paciente se submete a uma cirurgia, a destreza do cirurgião e a estrutura do hospital são muito importantes para o sucesso da intervenção. Mas um terceiro fator também é essencial: a alimentação. O que o paciente ingere, antes e depois da cirurgia, pode ajudar ou atrapalhar a recuperação do organismo. “Para uma adequada cicatrização, há a necessidade de nutrientes estruturais. É como se o corpo fosse um edifício em construção, que necessita de tijolos, cimento e areia”, compara o nutrólogo Denizard Ferreira.

 

Nos primeiros dias após a intervenção, a alimentação deverá priorizar alimentos proteicos, como carne, peixes, ovos e leite. “Os peixes contêm ômega 3, tipo de gordura que atenua o processo inflamatório”, exemplifica. A especialista em nutrição clínica funcional, Priscila Silva, explica que, logo após a cirurgia, o maior esforço do organismo é em promover uma espécie de limpeza da região afetada. “Reforçar o consumo de alimentos ricos em vitamina K, como gema de ovo e vegetais verde escuros, ajuda no processo de coagulação”, diz.

 

Na fase de cicatrização, o corpo reforça a síntese de colágeno para reparação das camadas da pele. Para isso, a vitamina C, presente em frutas cítricas e vermelhas, é essencial. “Por não ser armazenada pelo corpo, precisa ser ingerida diariamente”, aconselha o médico.

 

 

Outro importante aliado é o selênio, mineral com alto poder antioxidante e que reforça o sistema imunológico, encontrado em nozes e castanhas, por exemplo. Já o zinco compõe as enzimas relacionadas à reconstrução de tecidos e pode ser encontrado em carnes bovina, de frango, peixe, fígado, gérmen de trigo, grãos integrais, castanhas, cereais, legumes e tubérculos.

 

 

Na recuperação cirúrgica, o organismo necessitará de todos os tipos de nutrientes. Da mesma forma, a nutricionista Priscila Silva destaca que alguns alimentos devem ser evitados, pois podem intensificar processos inflamatórios. “São eles: gorduras saturadas, açúcar e alimentos industrializados, com conservantes e corantes químicos. Chá preto, café e bebidas com cafeína também devem ser evitados nesse período, pois dificultam a absorção de nutrientes”, enumera.

 

Quando a cirurgia não é de emergência, é importante preparar o corpo para responder melhor ao procedimento. “Nos sete dias anteriores, o paciente deve aumentar a ingestão de alimentos que reforçam o sistema imunológico e atenuam processos inflamatórios dos tecidos, o que aumenta as chances de obter uma resposta mais positiva à cirurgia, com menor índice de infecções, melhor cicatrização e recuperação”, indica o nutrólogo. “Não esqueça: ingerir bastante água e hidratar bem o corpo”, finaliza Priscila Silva.

02/03/2015
   |   Fonte: revista Sua Saúde

Instalações

Conheça as instalações disponibilizadas pelo Hospital.

box