Qual a vantagem da técnica de laparoscopia no transplante de rim?

Há grande vantagem, principalmente para o doador. Na técnica tradicional, o rim é retirado através de cirurgia na região lombar, e, muitas vezes, é necessário que se retire uma costela. Nesse caso, a pessoa pode ficar internada até três dias, sentindo desconforto no pós-operatório. Já a retirada pela laparoscopia permite ao doador ter alta no dia seguinte, e o mais importante: sem sentir dores. A técnica, um avanço no transplante renal, é utilizada desde 2011 pelo Hospital Santa Lúcia, o primeiro da rede privada a adotá-la. O Santa Lúcia é o lugar ideal para esse tipo de cirurgia, porque se houver alguma complicação relacionada ao procedimento, ele possui infraestrutura completa funcionando dia e noite. Há laboratório de exames complementares e recursos da medicina nuclear e da radiologia para exames de imagem, como doppler e cintilografia. Isso aumenta a possibilidade de salvar o órgão transplantado se acontecer algum problema. Para doar o rim é preciso ter de 18 a 60 anos, ser do mesmo grupo sanguíneo do receptor e não ter doenças como diabetes e hipertensão.

 

Evandro Reis da Silva Filho – CRM – DF 3606
Nefrologista

 

Todos os domingos na Revista do Correio Braziliense temos um espaço para você, leitor, tirar dúvidas sobre alguma especialidade médica. Envie sua pergunta para comunicacao@santalucia.com.br e participe de nossa coluna.

20/01/2013
   |   Fonte: Informe Publicitário - Correio Braziliense

Instalações

Conheça as instalações disponibilizadas pelo Hospital.

box