Santa Lúcia institui comissão interna de doação de órgãos e transplantes de tecidos

Hospital realiza cinco tipos de transplante e acompanha processo de captação de órgãos

 

 

Desde 2010, o Ministério da Saúde vem promovendo campanhas sobre doação de órgãos com o principal propósito de disseminar informação e potencializar o número de transplantes. O Santa Lúcia apoia essa iniciativa através de sua Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Transplante de Tecidos (CIHDOTT), responsável pelo gerenciamento do processo de captação de potenciais doadores, protocolo de morte encefálica, além de monitoramento dos transplantes.

 

 

A comissão busca avaliar a capacidade do Hospital na detecção de doadores e promove uma maior integração entre as Unidades de Internação e UTIs. Dentre as principais atividades está a captação interna, analisada e estabelecida por meio de nas respectivas unidades assistenciais. Em caso de potenciais doadores, a Central de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos (CNCDO) — ligada à Secretaria de Saúde do Distrito Federal — é notificada e o Hospital inicia o processo de captação. “Caso tenhamos algum paciente com critérios de morte encefálica, é feita a sensibilização com a família e, em seguida, iniciamos as avaliações clínicas. Posteriormente informamos à CNCDO”, explica Dárcia Lima e Silva, Gerente de Práticas Assistenciais do Grupo Santa.

 

 

Atualmente, o Santa Lúcia está credenciado a realizar diversos tipos de procedimentos, como transplantes de medula óssea, válvulas cardíacas, rim entre doadores vivos e, desde 2012, está apto para transplante de tecido musculoesquelético.

 

04/01/2014
   |   Fonte: Informe Publicitário - Revista Veja Brasília

Instalações

Conheça as instalações disponibilizadas pelo Hospital.

box