Serviço Integrado de Cardiologia: Inovação, Segurança e Resolutividade

João tem 45 anos, joga futebol esporadicamente, bebe e fuma aos finais de semana. Ele faz parte de um dos grupos mais suscetíveis às doenças coronarianas — o de homens acima dos 40 anos — e, possivelmente, precisará de atendimento cardiológico especializado em algum momento de sua vida, caso não modifique seus hábitos.

 
Nos hospitais do Grupo Santa — Santa Lúcia, Santa Helena e Prontonorte — ele pode contar com o Serviço Integrado de Cardiologia, que inclui profissionais qualificados e equipamentos modernos para oferecer o melhor acolhimento, tratamento e acompanhamento desde a realização de consultas agendadas com cardiologistas até o atendimento emergencial, internação cardiológica ou em UTI cardiointensiva, atendimento hemodinâmico e, se necessário, cirúrgico.

 

As diretrizes mais recentes publicadas na Europa e nos Estados Unidos são unânimes em ressaltar a importância de um Heart Team (time cardíaco) na avaliação de um paciente atendido em um serviço de cardiologia. Isso permite que as discussões clínicas realizadas entre os profissionais ofertem ao paciente mais segurança e resolutividade, com o melhor tratamento cardiovascular disponível.

 

“A prevenção de um infarto é baseada em medidas de longo prazo, com mudança de estilo de vida que inclua alimentação  saudável e exercícios físicos, acompanhamento médico regular, especialmente a partir dos 40 anos, caso não haja histórico de doença cardiovascular na família, e uso de medicação, quando necessário. A principal recomendação para um paciente com dor no peito é ir a uma emergência médica para avaliação com cardiologista, o mais rápido possível”, explica o cardiologista Fausto Stauffer.
O acompanhamento ambulatorial com visitas médicas regulares e realização de exames específicos diagnostica doenças cardiológicas precocemente e permite tratá-las antes de uma emergência. “Contamos também com toda infraestrutura para realizar exames cardiológicos complementares, como radiologia [angioTC e RMN cardíaca], hemodinâmica [cateterismo
cardíaco], além de ecocardiograma, doppler das carótidas, MAPA e holter”, exemplifica o médico.

 

O PERCURSO DO PACIENTE – Ao chegar a um pronto-socorro, o paciente é avaliado pela triagem. Se tiver dor torácica, é rapidamente encaminhado para a realização de eletrocardiograma, análise de enzimas e avaliação com médico cardiologista e, a depender da análise inicial, alocado em rotas de atendimento.
Em alguns casos, ele pode ser encaminhado ao serviço de hemodinâmica para realização de coronariografia diagnóstica. Se necessário, será realizada a angioplastia coronariana: procedimento médico para a desobstrução de uma artéria do coração a partir do uso de um cateter com um pequeno balão na ponta e implante de um minúsculo dispositivo metálico em formato de tela (stent) revestido com medicamentos. Em outros, pode ser monitorizado e realiza exames de sangue seriados para descartar a hipótese de infarto. Caso a dor torácica seja de origem cardíaca, o paciente é encaminhado para Unidade Cardiointensiva, onde fica monitorizado e faz mais exames complementares.
“O paciente pode ser encaminhado para o Serviço de Hemodinâmica em qualquer fase da doença cardiovascular, desde que  obedeça a critérios clínicos”, afirma o hemodinamicista e cardiologista intervencionista, Francisco Cruz. No Serviço, estuda-se a circulação do sangue e realiza-se diagnósticos e procedimentos terapêuticos com a técnica do cateterismo. “Os riscos do procedimento são insignificantes diante do benefício para a vida do paciente”, acrescenta.

 

A recomendação de cirurgia pode vir associada ao atendimento hemodinâmico, como detalha o cirurgião cardíaco Leonardo Esteves. “No caso de uma doença coronariana como a aterosclerose, condição em que ocorre o acúmulo de placas de gordura, colesterol e outras substâncias nas paredes das artérias, os exames e a avaliação médica definem como o paciente obterá melhor resultado em seu tratamento, utilizando as combinações possíveis de medicamentos, intervenção hemodinâmica e/ou cirurgia, a depender de cada caso”.

 

Nosso Serviço

 

  • Equipe de cardiologia clínica com profissionais titulados pela SBC/AMB
  • Equipe de arritmologia
  • Emergência cardiológica
  • Unidade de dor torácica
  • UTI cardiointensiva
  • Hemodinâmica
  • Estudo eletrofisiológico
  • Cirurgia cardiovascular
  • Radiologia cardiovascular (angioTC e angioRM cardíaca)
  • Exames complementares em cardiologia (ecocardiograma, holter, MAPA e teste ergométrico)
03/08/2015
   |   Fonte: revista Sua Saúde

Instalações

Conheça as instalações disponibilizadas pelo Hospital.

box