Suplementação de vitamina D pode auxiliar na prevenção de artrite reumatoide

A suplementação de vitamina D, nutriente que possui efeitos anti-inflamatórios, pode ajudar a prevenir e até mesmo impactar positivamente o tratamento de pacientes com artrite reumatoide, doença autoimune que causa inflamação crônica, geralmente nas articulações. É o que indica um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Birmingham, no Reino Unido, publicado no periódico científico Journal of Autoimmunity.

 

A conclusão veio da análise inédita de amostras de sangue e fluido das articulações de 15 pacientes, entre 40 e 85 anos, com a doença. Diferente dos trabalhos anteriores, foram isolados diferentes tipos de células do próprio local da inflamação para determinar se as aquelas específicas do sistema imunológico tinham a mesma sensibilidade para a vitamina D.

 

Com base nos resultados, os cientistas concluíram que manter os níveis de vitamina D saudáveis pode ajudar a prevenir a artrite reumatoide, assim como outras doenças inflamatórias. Os pesquisadores também acreditam que a descoberta pode levar ao desenvolvimento de um novo tipo de tratamento: uma correção para a falta de sensibilidade à vitamina provocada pela artrite reumatoide.

 

“A recepção de vitamina D por células do sistema imune relacionadas à proteção do sistema de defesa do organismo contra agentes agressores externos e células do próprio organismo possibilita aos pesquisadores correlacionarem a deficiência de vitamina D à ocorrência de doenças autoimunes como a artrite reumatoide”, afirma a médica reumatologista do Hospital Santa Lúcia, Sandra Andrade.

 

A DOENÇA – A artrite reumatoide é uma doença autoimune caracterizada por inflamação articular que ocorre, predominantemente, em mulheres. A cada 9 casos no sexo feminino, um é diagnosticado no masculino. Mais comum entre a quarta e quinta décadas de vida, a enfermidade apresenta evolução crônica, com períodos de melhora e piora do quadro.

 

Comumente relacionada a fatores genéticos, ela é mais frequente em famílias cujos membros são portadores da doença, mas sua gravidade está relacionada a fatores como sedentarismo, tabagismo, sobrepeso e exposição ao estresse.

 

No início, costuma afetar mãos e pés, mas pode acometer qualquer articulação no corpo. Apesar de raros, há casos em que a doença atinge órgãos como pulmão, olho e o sistema nervoso”, explica a especialista. “Por se tratar de uma doença inflamatória e crônica, a artrite reumatoide pode causar muita dor e até mesmo imobilizar as articulações, dificultando ou impedindo as atividades laborais e de vida diária, como dirigir e tomar banho”, acrescenta.

 

PREVENÇÃO E SINTOMAS – Praticar exercícios físicos, alimentar-se de forma natural e saudável, dormir bem e levar uma vida com menos estresse é muito importante para prevenir a artrite reumatoide. Ao contrário do que se possa imaginar, a doença não apresenta relação com a exposição solar.

 

Entre os principais sintomas da doença estão dores, calor e rubor, primordialmente nas articulações das mãos e pés, acompanhados de rigidez no período da manhã ou após repouso prolongado. “Além disso, pode haver limitação nos movimentos das articulações acometidas e sintomas como febre, fadiga e perda de peso”, revela Sandra Andrade.

 

Na presença de um ou mais sintomas, é preciso procurar a ajuda de um especialista em reumatologia, que vai orientar a realização de exames laboratoriais e de imagem para confirmar o diagnóstico e excluir outras causas de doenças, como infecções, por exemplo.

 

TRATAMENTO – Entre os principais tratamentos estão medicamentos que modulam o sistema imune e ajudam evitar a progressão da doença. “Essas drogas devem ser administradas desde o diagnóstico da doença para controlar o processo inflamatório e inibir a fase aguda da artrite reumatoide, tornando os períodos de crises mais espaçados e evitando deformidades e sequelas que comprometam a qualidade de vida”.

14/12/2017

Instalações

Conheça as instalações disponibilizadas pelo Hospital.

box