Tempo seco é propício a doenças respiratórias

De maio ao início de outubro, quem mora na região Centro-Oeste precisa conviver com o clima seco. Nesse período, é necessário enfrentar dias com umidade do ar que pode chegar a 10% e as noites ficam mais frias. As doenças respiratórias, como gripes, asma, sinusites, otites e faringites, surgem com muita frequência.

 

 

Isso ocorre porque a baixa umidade compromete o sistema respiratório, que precisa se esforçar mais para levar o ar seco do nariz até o pulmão, favorecendo a inflamação das vias aéreas e deixando o organismo mais vulnerável às doenças. Além disso, há maior dificuldade de dispersão dos poluentes, intensificando a poluição atmosférica e, nessa época, as pessoas naturalmente se aglomeram em ambientes fechados, o que facilita a transmissão dos vírus e bactérias.

 

 

De acordo com a alergista e imunologista do Hospital Santa Lúcia, Dra. Fernanda Marcelino, a hidratação é fundamental para a prevenção. “Beber bastante água é importante. Umidificar o ambiente (através do uso de umidificadores, toalhas úmidas e bacias com água) também ajuda, mas os umidificadores devem ser utilizados por curtos períodos para que não haja proliferação de fungos e ácaros”, alerta.

 

 

Evitar lugares fechados com aglomerações, lavar casacos e cobertores que ficaram guardados muito tempo antes de utilizá-los, higienizar constantemente as mãos e se vacinar contra o vírus da gripe são outras medidas preventivas. Vale destacar que a vacinação é considerada pela OMS como a melhor estratégia preventiva em termos de custo e eficiência para a redução da ocorrência destas enfermidades, bem como as internações relacionadas a ela. “A vacina oferece proteção apenas contra o vírus influenzae, mas a imunização pode, sim, prevenir complicações como a pneumonia, otite e sinusite”, afirma a Dra. Fernanda.

 

01/09/2013
   |   Fonte: Equipe do Site

Instalações

Conheça as instalações disponibilizadas pelo Hospital.

box